segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Ano recorde para a indústria de cinema no Brasil e para os filmes nacionais

http://1.bp.blogspot.com/_GsE3XMF97vo/TQ_k6mcOo7I/AAAAAAAAATM/dSexcmh1gpI/s1600/growing.jpg
Previsão do sindicato dos distribuidores aponta crescimento de 32% de bilheteria. Filmes nacionais devem conquistar 19% de participação de mercado.




O setor cinematográfico pode comemorar: 2010 é um ano de resultados recordes. Cerca de 135 milhões de espectadores devem passar pelos cinemas em 2010 – contra 112 milhões no ano passado – gerando uma renda bruta estimada em R$ 1,27 bilhão. É o que aponta o estudo do Sindicato das Empresas Distribuidoras Cinematográficas do Município do Rio de Janeiro, única entidade a medir os números de venda de ingressos há mais de 17 anos consecutivos. Os dados parciais – o consolidado do ano será divulgado na segunda quinzena de janeiro de 2011- mostram que a safra de bons títulos nacionais e internacionais conquistou o público que comprou 20% a mais de ingressos, representando um aumento de bilheteria de 32%.
Os filmes nacionais tiveram papel decisivo no crescimento, como vem ocorrendo nos últimos anos. Até o final do ano, a previsão é que os títulos brasileiros tenham conquistado quase dez milhões a mais de ingressos que em 2009. Os quase 16 milhões de ingressos vendidos no ano passado devem chegar a 26 milhões, resultando em um aumento de 61%, número recorde desde a retomada do cinema brasileiro, ultrapassando 2003 quando foram vendidos 22 milhões.  Em relação bilheteria, o resultado aponta um crescimento de 74%, gerando uma renda bruta de R$ 229 milhões. Com isso, a participação de mercado do cinema nacional deve chegar a dezembro com 19% contra 14% do ano passado.

Pela primeira vez, desde a retomada do cinema no Brasil, três filmes nacionais entre os dez maiores filmes do ano ultrapassaram a marca de 3 milhões de espectadores e um filme nacional ultrapassa a barreira dos 10 milhões de espectadores”, comemora o presidente do Sindicato, Jorge Peregrino.  “O resultado conquistado por Tropa 2 mostra o sucesso da franquia junto ao público, que reconheceu suas qualidades e fez questão de comparecer em massa aos cinemas. É também um exemplo de como a pirataria, que impactou negativamente no resultado do primeiro filme, faz mal para a indústria cinematográfica”.

Para que o público total de cinema chegue a 135 milhões de espectadores em 2010, o Sindicato aposta na boa performance dos títulos nacionais. Não só nos que já estão em cartaz como “Muita Calma Nessa Hora”, de Felipe Joffily, que estreou em 12 de novembro e já ultrapassou 1 milhão de espectadores; e “Aparecida – O Milagre”, de Tizuka Yamazaki, que estreou na última sexta, e também engrandece os números. Este ano será fechado com a comédia “De Pernas pro Ar”, de Roberto Santucci, comédia que promete levar grande público aos cinemas.
O parque exibidor também cresceu com a inauguração de 150 novas salas de cinema em todo país e a estimativa do Sindicato é que tenhamos no fechamento do ano aproximadamente 2.500 salas de cinema, ou seja, crescimento de 6,3%. Outro aspecto importante a ser considerado para o recorde de bilheteria em 2010 é o impacto dos filmes 3D. O formato se consolidou no mercado brasileiro e o país deve fechar o ano com mais de 200 salas com equipamento digital, contra 96 em 2009. Ao longo do ano, mais de 20 títulos neste formato foram oferecidos ao público, com ótimos resultados na venda de ingressos.  Além do 3D, a procura por títulos estrangeiros levaram 108,9 milhões de espectadores aos cinemas, gerando uma renda bruta de R$ 1,04 bilhões. Todos esses resultados levaram o Brasil a ultrapassar o México, se tornando esse ano o maior mercado de cinema da América Latina.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Related Posts with Thumbnails